Tratar das ervas-daninhas da relva

Ter um relvado lindo, suave e bem regular, que sonho ! Existem, no entanto, numerosos truques para se obter uma relva sem musgo nem intrusos...

Tratar das ervas-daninhas da relva
Uma relva invadida pelo musgo e pelo trevo : se quer ter um bom resultado, mais vale voltar a semear a relva do que tratar!

Ver-se livre do musgo

Esta cobertura fofa que se instala junto aos pés da erva e que a sufoca é, regra geral, o inimigo nº 1 da relva. Na verdade, o musgo instala-se no local em que a erva perde a força. Quando há uma falta de luminosidade ou que o sol enfraquece superficialmente, a erva deixa uma parte do solo a nu e o musgo vai ocupar esse espaço vazio. Se o relvado é mal cuidado, o musgo vai invadir rapidamente. O sulfato de ferro é o anti-musgo mais frequentemente encontrado à venda. Ele mata rapidamente o musgo que vai enegrecer e deve de seguida ser retirado. No entanto, não é aconselhável utilizá-lo sózinho: o sulfato de ferro acidifica o solo, o que vai encorajar a proliferação do musgo! O uso de um escarificador desalojará o musgo ao limpar a erva. É uma das maneiras para limitar a presença do musgo, agindo mais nos sintomas do que na causa.

Espalhe cal no musgo

É verdade que a melhor solução contra o musgo consiste simplesmente em espalhar cal agrícola, cerca de 100 gr por m², de preferência na Primavera. A cal torna o solo mais alcalino, o que vai desagradar ao musgo, e vai dar mais vigor à erva. À sombra das árvores, pode ser preferível voltar a refazer a relva, remexer a terra e semear uma mistura rica em festuca invasiva, mais adaptada à falta de luz. Mas é verdade que o musgo também pode ter qualidades: apesar de tudo não é tão agradável poder andar descalço em cima do musgo e não ter de cortar a relva tantas vezes?

Tratar das ervas-daninhas da relva
De todos os métodos, neste caso das rosettes, o que oferece melhores resultados e mais limpo é a limpeza manual.

Retirar as rosetas

Essa folhas grandes, bem junto ao solo, não são nada elegantes. Uma vez nascidas não há outra solução para nos desfazermos delas: uma navalha para as arrancar ou um herbicida para relva. No primeiro caso, basta passar a lâmina abaixo da roseta e retirar a planta cortada. O herbicida para relva é granulado e espalha-se pelo solo. Ele não vai retirar a planta (esta morre no sítio), mas neste caso a erva resultante de cada corte de relva não pode ser utilizada para composto ou para fazer cobertura do solo, pois o herbicida nela contido fica activo durante muito tempo.

Para lutar contra os outros habitantes da relva como o trevo, as violetas ou a hera, apenas resta a solução química. Se não deseja recorrer à solução química, utilize os métodos que favoreçam a erva (gramíneas) em vez das plantas de folhas largas.

Três receitas para uma relva bonita

Passe o rolo depois de cada chuvada: ao fazer isto vai encorajar a erva que dá origem à relva, a formar novas raízes e novos rebentos próximo do solo. É a melhor maneira de limitar a concorrência.

Corte a relva o mais regularmente possível: ao cortar regularmente a relva, as plantas de folhas largas são desfavorecidas e a relva fica menos espaçada.

Adopte a mistura, na altura da sementeira: escolha uma relva de acordo com a utilização e as condições. Uma mistura não adaptada vai originar uma relva em más condições sendo assim invadida por plantas que se vão adaptar bem à situação.

M. Jean-Michel GROULT
 
Pépinières PLANFOR
1950 Route de Cère
40090 UCHACQ - FRANCE
Tel : 214.245.101
Fax : 0033 558 064 854