O herbicida químico

Tratar a relva com produtos quimicos não é o ideal para os jardineiros que desejam evitar esses produtos. Há, no entanto, alguns casos em que esta técnica se justifica, com a condição de respeitar rigorosamente as doses!

Quando não se tem tempo suficiente para arrancar as ervas-daninhas à mão ou mecanicamente, mas ainda assim, queremos ter um solo limpo, temos duas soluções: a sua cobertura ou o tratamento com um herbicida químico. Apenas este último vai limpar completamente o sol. Há casos em que o tratamento com herbicida é obrigatório, (independentemente do método!) como nas regiões infestadas de ambrosia, erva muito alérgica. Esta planta deve ser destruída antes do dia 15 de Agosto. Se isto não acontecer pode dar direito a multa. Os herbicidas químicos são também úteis quando queremos ver-nos livres de ervas muito resistentes, como a fallopia japonica. Quando esta se instala, é difícil livrarmo-nos dela, a menos de recorrermos a soluções radicais.

Que herbicidas utilizar?

No caso de jardins de amadores, os herbicidas químicos são bastante limitados pois as regras estão cada vez mais severas. No mercado apenas encontramos productos com um bom nível de segurança. O herbicida mais corrente é constituído de glifosato. Esta substância de que tanto se fala, tem a vantagem de agir de maneira sistémica, isto é, através de toda a planta. As plantas tratadas com este herbicida morrem completamente. Este herbicida não é selectivo, isto é, tanto actua nas ervas-daninhas como nas plantas cultivadas. Desta maneira, deve ser aplicado cuidadosamente, com um pulverizador equipado com uma protecção para evitar as projecções, ou passar o produto com o pincel, nas folhas das plantas que desejamos eliminar.

Um outro herbicida químico é o ácido acético, também conhecido por vinagre concentrado. Utiliza-se em pulverização nos caminhos e nos espaços que queremos manter limpos. É corrosivo pois é concentrado mas não se acumula no solo. O vinagre é eficaz pois impede o nascimento de plantas jovens. Apenas age nas partes que são pulverizadas e não impede o crescimento a partir das raízes e dos caules subterrâneos.

Tendo aparecido recentemente, o ácido pelargónico é um herbicida natural, como o vinagre. A sua acção é mais forte contra o crescimento de plantulas nos caminhos e também nas lajes, contra as algas.

Precauções utéis

Aplique os herbicidas com o equipamento adequado: roupa que cubra todo o corpo e luvas (em nitrilo). Pulverise com bom tempo, sem vento. Utilize um pulverizador apenas para o herbicida: poderiam acontecer acidentes nas suas plantações se o aparelho estivesse mal lavado ou com um depósito no fundo.

Cursos de água, cuidado !

unto a cursos de água, a lei é bastante rígida: não utilize herbicida! É proíbido espalhar seja o que for a menos de 5 metros de distância do curso de água ou de um pequeno lago existente num mapa e a menos de um metro dos outros. O glifosato degrada-se rapidamente no solo mas os seus subprodutos, esses persistem no solo e vamos encontrá-los nas águas subterrâneas. Assim, devemos apenas utilizar este herbicida a uma boa distância dos cursos de água e nunca ultrapassar as doses indicadas. O vinagre é também muito tóxico para os animais aquáticos.

M. Jean-Michel GROULT
 
Pépinières PLANFOR
1950 Route de Cère
40090 UCHACQ - FRANCE
Tel : 214.245.101
Fax : 0033 558 064 854